Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecadigital.economia.gov.br/handle/123456789/527973
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorJesus Junior, Celso de-
dc.creatorRodrigues, Luiza Sidônio-
dc.creatorMoraes, Victor Emanoel Gomes de-
dc.date.accessioned2014-05-27T21:05:57Z-
dc.date.accessioned2018-03-19T16:24:58Z-
dc.date.accessioned2022-05-12T03:57:59Z-
dc.date.available2014-05-27T21:05:57Z-
dc.date.available2018-03-19T16:24:58Z-
dc.date.available2022-05-12T03:57:59Z-
dc.date.created2014-05-27T21:05:57Z-
dc.date.created2018-03-19T16:24:58Z-
dc.date.issued2011-09-
dc.identifierJESUS JUNIOR, Celso de; RODRIGUES, Luiza Sidonio; MORAES, Victor Emanoel Gomes de. Fruticultura: formas de organização nos principais países exportadores. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n.34 , p. 239-270, set. 2011.-
dc.identifier1414-9230-
dc.identifierhttp://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/1601-
dc.identifier.urihttp://bibliotecadigital.economia.gov.br/handle/123456789/527973-
dc.description.abstractA fruticultura conta com diversas iniciativas públicas e privadas de fomento à produção e exportação em diferentes países do mundo. Este trabalho relata a experiência de quatro países que se sobressaem no comércio internacional de frutas frescas: África do Sul, Chile, Estados Unidos e Nova Zelândia. Em seguida, os modelos e estruturas adotados são comparados com as iniciativas brasileiras nesse setor. Concluiu-se que o Brasil, de forma semelhante aos países estudados, conta com órgãos públicos e privados que contribuem para a melhor organização da fruticultura nacional, mas a cadeia ainda requer métodos de gestão mais adequados e uma estruturação mais coerente. Entre os entraves observados podem-se citar a assimetria de informações, o distanciamento entre instituições de pesquisa e empresas do setor e a ineficiência logística. Como potencialidades a serem exploradas, tem-se o pujante mercado interno e o desenvolvimento de plantas agroindustriais, que possibilitariam o aproveitamento das frutas descartadas pelo mercado de produtos frescos e agregariam maior valor à produção.-
dc.languagept_BR-
dc.publisherBanco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social-
dc.relationBNDES Setorial, n. 34, set. 2011, p. 239-269-
dc.subjectFrutas - Comércio - Brasil-
dc.subjectFrutas - Comércio - África do Sul-
dc.subjectFrutas - Comércio - Estados Unidos-
dc.subjectFrutas - Comércio - Chile-
dc.subjectFrutas - Comércio - Nova Zelândia-
dc.subjectFruit trade - Brazil-
dc.subjectFruit trade - United States-
dc.subjectFruit trade - South Africa-
dc.subjectFruit trade - New Zealand-
dc.subjectFruit trade - Chile-
dc.titleFruticultura: formas de organização nos principais países exportadores-
dc.typeArtigo-
Appears in Collections:Produção BNDES - Artigos

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.