Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecadigital.economia.gov.br/handle/123456789/525148
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorMachado, Carlos Dodsworth-
dc.date.accessioned2015-02-24T14:24:25Z-
dc.date.accessioned2021-11-27T03:42:29Z-
dc.date.available2015-02-24T14:24:25Z-
dc.date.available2021-11-27T03:42:29Z-
dc.date.created2015-02-24T14:24:25Z-
dc.date.issued2014-07-
dc.identifierhttp://repositorio.enap.gov.br/1/1862-
dc.identifier.urihttp://bibliotecadigital.economia.gov.br/handle/123456789/525148-
dc.description.abstractEscrito em 1945, por Carlos Dodsworth Machado, o texto versa sobre o fenômeno da imigração em massa para o Brasil num momento da história em que existiam não somente demanda no mercado de trabalho brasileiro por mão de obra, como também a esperança de uma nova era econômica, algo que justificava a abertura do país à vinda de estrangeiros. Escrito há quase 70 anos, o artigo causa impacto pelo fato de retratar uma realidade do século XX bastante similar ao drama vivido pelo Estado contemporâneo, ressalvados, obviamente, o contexto e as proporções. Desta vez, os rostos europeus, árabes e nipônicos são substituídos por imigrantes de origem africana (especialmente vindos de países como Gana, Senegal, Nigéria, Cabo Verde e Angola), sul-americana (peruanos, bolivianos, paraguaios em sua maioria), chinesa e sul-coreana, bem como vindos da América Central, haja vista a imigração massiva de haitianos para estados como Acre, São Paulo e Paraná. Grande parte dessa imigração recente é feita de maneira ilegal. Fugindo da pobreza ou de conflitos bélicos em seus países, muitos imigrantes apresentam mão de obra pouco qualificada, o que os torna vítimas de condições de trabalho precárias. O texto de Machado atesta que o Brasil se ressentia da ausência de uma organização administrativa capaz de arcar com as responsabilidades que acompanhavam a ampla introdução de imigrantes no país. Por isso, o autor ressalta a importância da presença de instituições e normas acautelatórias para a chegada desses imigrantes. Todavia, cabe destacar que, para Machado, era preciso saber aproveitar essa leva imigratória como trunfo rumo à tão sonhada prosperidade brasileira.-
dc.languageIdioma::Português:portuguese:pt-
dc.publisherEscola Nacional de Administração Pública (Enap)-
dc.rightsEscola Nacional de Administração Pública (Enap)-
dc.rightsAcesso::Acesso Aberto-
dc.rightsTermo::Creative Commons - Uso Não Comercial (by-nc)::Esta licença permite que outros remixem, adaptem, e criem obras derivadas sobre a obra licenciada, sendo vedado o uso com fins comerciais. As novas obras devem conter menção ao autor nos créditos e também não podem ser usadas com fins comerciais, porém as obras derivadas não precisam ser licenciadas sob os mesmos termos desta licença. Fonte: http://creativecommons.org.br/as-licencas/-
dc.sourcehttp://seer.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/633/514-
dc.subjectfronteira-
dc.subjectmão de obra-
dc.subjectimigração-
dc.subjectestrangeiros-
dc.titleConsiderações sôbre o problema imigratório-
dc.typeArtigo-
Appears in Collections:Revista do Serviço Público: de 2011 a 2020

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.