Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecadigital.economia.gov.br/handle/123456789/524676
Title: Saúde do trabalhador: um (não) olhar sobre o servidor público
Keywords: saúde do trabalhador
servidor público
medicina do trabalho
Issue Date: Apr-2007
Publisher: Escola Nacional de Administração Pública (ENAP)
Revista do Serviço Público (RSP)
Abstract: O presente artigo pretende tecer algumas considerações a respeito dos discursos e práticas da área da saúde do trabalhador em relação aos trabalhadores dos serviços públicos. Na primeira parte, demarca a construção do campo da Saúde do Trabalhador enquanto política pública no Brasil, identificando como as Conferências Nacionais de Saúde do Trabalhador trataram o tema da saúde do servidor público. Em seguida, analisa entrevistas realizadas com profissionais da Perícia Médica de um estado brasileiro. Ao final, conclui que ações voltadas à atenção da saúde do servidor público não integram uma política pública, mas ficam à mercê dos diferentes governos, sendo que os enunciados sobre a saúde do trabalhador têm uma frágil penetração em um campo ainda hegemônico da medicina do trabalho. A saúde do servidor público não tem merecido investimento, apenas controle, em consonância com um longo histórico de desvalorização do setor público.
El actual artículo se prepone tejer algunas consideraciones con respecto a los discursos prácticos y del campo de la salud del trabajador en lo referente a los trabajadores de los servicios publicos. Empezamos la demarcación de la construcción del campo de la salud del trabajador como políticas públicas en el Brasil, identificando como las conferencias nacionales de la salud del trabajador se habían ocupado del tema de la salud del servidor público. Después de eso, analizamos las entrevistas llevadas a cabo con los profesionales de la peritación médica de un estado brasileño. Concluimos que las acciones dirigidas a la atención de la salud del servidor público no integran una política pública, pero están sometidas a los designios de los diversos gobiernos, y que las declaraciones de la salud del trabajador tienen una débil influencia en un campo de la medicina del trabajo que tiene la hegemonía. El servidor público, como trabajador que es, no ha merecido la inversión debida sino el control, de acuerdo con una larga historia de depreciación del sector público.
This article presents a discussion on the discourses and practices concerning the health care workers’ field in relation to the public sector’s workers. Initially we define the social construction of the worker’s health field in Brazil as a public policy by identifying how the National Workers’ Health Conferences treated the subject of the civil servants’ health. Following, we analyzed interviews conducted with the staff responsible for the workers’ health department of a Brazilian state. We concluded that the programs directed to the health care of civil servants do not integrate a public policy, and change at the will of each presidential administration; the central principles of the worker’s health movement have a fragile penetration in the occupational medicine hegemonic field. The civil servant, as a worker, has not received the deserved attention, but only control, and this fact is coherent with a long history of discredit of the public sector.
URI: http://bibliotecadigital.economia.gov.br/handle/123456789/524676
Other Identifiers: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/1395
Appears in Collections:Revista do Serviço Público: de 2001 a 2010

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.